O Castigo do Rabino e as Ervilhas

Dois alunos de um seminário rabínico foram falar com o diretor e fizeram uma confissão:
– “Rabino, cometemos um pecado.”

O Rabino perguntou:
– “Um pecado? Que tipo de pecado?”

O mais falante da dupla respondeu:
– “Nós olhamos com luxúria para uma mulher.”

– ”Que D-us os perdoe!” – falou o Rabino. “Isso é realmente uma séria transgressão.”

“Rabino”, disseram os alunos, humilhados, “o que podemos fazer para expiar nossa culpa?”

E o religioso disse:
– “Bem, se vocês querem mesmo buscar penitência, coloquem ervilhas nos sapatos e caminhem assim por dez dias, trocando as ervilhas diariamente. Talvez isso ensine vocês a não pecar novamente.”

Os dois rapazes foram para casa e fizeram como o Rabino mandou. Alguns dias depois, os penitentes se encontraram na rua. Um deles mancava e andava com dificuldade, aparentando muita dor, mas o outro caminhava com facilidade, mostrando-se tranquilo como sempre.

Ao ver aquilo o amigo perguntou:
– “É esta a maneira de obedecer ao Rabino? O que adiantou confessar se você  ignorou a ordem de colocar ervilhas nos sapatos?”

E o outro esclareceu:
– “Eu não o ignorei de jeito nenhum. “Eu só cozinhei as ervilhas primeiro.”

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *