De Portugal, a Ironia Sobre os Incêndios na Amazônia

Guilherme Duarte, um dos melhores colunistas do site português  SAPO24 publicou hoje um ótimo texto onde ironiza a mobilização mundial acerca das queimadas na Amazônia.

Ele é um humorista que faz stand-up comedy e na apresentação na coluna do site diz que “cedo percebeu que fazer humor era a melhor forma de desarmar assaltantes”.

Como apagar o fogo da Amazónia

A opinião de Guilherme Duarte

Toda a gente sabe que os dois métodos mais eficazes para apagar incêndios são rezar e viralizar ‘hashtags’ pela Internet.

A Amazónia está a arder. Há quem diga que está apenas a fazer a depilação brasileira, mas isso é gente que gosta de brincar com assuntos sérios e não tem respeito pelo pulmão do planeta. A Internet uniu-se em torno deste problema e, rapidamente, a hashtag #PrayForAmazonas ficou nas trends do Twitter.

É bonito ver as pessoas a unirem-se em torno de uma causa. Ainda dizem que a Internet não tem coisas boas. Toda a gente sabe que os dois métodos mais eficazes para apagar incêndios são rezar e viralizar hashtags pela Internet. Aliás, por algum motivo é que a catedral de Notre-Dame ardeu só um bocadinho, já que, com tanta gente a rezar por ela, Deus fez com que o fogo não alastrasse muito.

Se, por um lado, é fácil perceber como é que a reza funciona, já que é uma espécie de petição a Deus e quanto mais gente rezar mais prioridade Ele dá ao assunto, já a utilização de hashtags como forma de combater incêndios parece magia, mas a verdade é que funciona.

O processo é relativamente simples: as pessoas utilizam e partilham a hashtag e isso causa a divulgação do assunto; as pessoas tomam conhecimento e ficam emocionadas ao ver a Amazónia a arder; a emoção causa lágrimas e essas lágrimas acabam por evaporar; ao evaporarem existe mais vapor de água na atmosfera e a sua condensação provoca chuva. Resultado? O incêndio é extinto. Simples e não custa nada.

Mais uma vez, para os menos versados em tecnologia e redes sociais, pode parecer estranho, mas o fluxo é simples. Partilhando essa hashtag no Twitter, o algoritmo deteta e aciona todo um mecanismo que passa pelo lançamento de um drone com um pequeno pinheiro que será plantado num raio de cinco quilómetros do utilizador que partilhou a hashtag. Não se esqueçam de ter o GPS ligado quando fizerem isto, caso contrário o drone fica baralhado e ainda pode plantar o pinheiro noutro sítio. O pinhal de Leiria ainda não está recuperado porque as pessoas não fazem o esforço de partilhar essa hashtag.

Por tudo isto, precisamos do apoio de todas as influencers para apagar o fogo. Os bombeiros sozinhos não têm os meios para extinguir um incêndio de tamanha dimensão e a ajuda de todas e de todos os modelos de Instagram é vital. Partilhem a hashtag e não se esqueçam de usar aquela de #DeusNoComando para Ele não pensar que estamos a passar por cima e que não é preciso a Sua ajuda.

Para ler o artigo no site, clique aqui.

 

One thought on “De Portugal, a Ironia Sobre os Incêndios na Amazônia

  • Avatar
    Daniel

    Pois é amigo, anda como uma hashtag para resolver problemas cotidianos! hahaha

    Responder

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *