Racista na Cadeia, Que Alegria!

Poucas coisas me chocam e irritam mais do que as frequentes manifestações de racismo aqui no Brasil.

Não sei se as ocorrências aumentaram ou a facilidade que existe para a divulgação delas nos dá essa sensação. 

Seja como for, um país conhecido pela bonomia (lembrei dessa palavra quando comecei a escrever) e que deve tanto aos negros trazidos para cá em um dos mais tristes períodos da nossa história, jamais poderia ser palco de fatos como o que ocorreu em Belo Horizonte há poucos dias.

A advogada de 36 anos Natália Burza Gomes Dupin, ao ser indagada por Luis Carlos Alves Fernandes se precisava de táxi, respondeu que “não andava com preto”. E insistiu: “eu não gosto de negro, sou racista, sou racista mesmo”. Em seguida cuspiu no pé dele.

Natália foi levada para uma companhia da PM, mas não sossegou: no B.O. está registrado que um policial negro “não conseguiu executar suas funções policiais militares, inerentes ao seu cargo/função, por causa da sua cor“. Não se sabe se ela também o ofendeu ou ele preferiu não atende-la, mas em seguida a cretina se recusou a atender a ordem de uma policial feminina para se sentar, chamou a militar de “sapata” e foi algemada.

Agora pela manhã a advogada passou pela audiência de custódia e foi liberada para responder pelo crime em liberdade após pagar fiança de R$ 10 mil.

É pouco, muito pouco, mas foi beneficiada pela lei. 

Bom seria se essa formalidade fosse cumprida 2ª feira, para que a advogada passasse o final de semana na cadeia.

Outra questão que me ocorre: a OAB vai tomar alguma providência contra essa péssima profissional ou ficará por isso mesmo?

One thought on “Racista na Cadeia, Que Alegria!

  • Avatar
    Silvestre Schmitt

    Todo racista, além de mal educado, é babaca. E burro.

    Responder

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *