Vanderlei Luxemburgo é a Prova Viva dos Ditados

Recebi um vídeo com entrevista concedida pelo treinador de futebol Vanderlei Luxemburgo e de imediato lembrei de dois ditados:

“É melhor calar-se e deixar que as pessoas pensem que você é um idiota do quer falar e acabar com a dúvida” – atribuída à Abraham Lincoln; e

– “Não vá o sapateiro além da sandália” – essa dita por Valério Máximo.

 

 

One thought on “Vanderlei Luxemburgo é a Prova Viva dos Ditados

  • Avatar
    Hélio

    Esse pilantra, trambiqueiro, embusteiro e falastrão deveria ter vergonha na cara e não falar tanta besteira. Ele era (ou ainda é) sócio do Sérgio Malucelli nos atletas do Londrina E. C., oriundos do Iraty S. C. , na proporção de 60 % (V.L.) e 40 % (S.M.). Pois bem: havia no Iraty Sport Clube um jogador chamado Arinelson, atacante, goleador, muito bom (para os padrões de Iraty S.C.) mas que gostava de uma festa, uma cervejinha, umas meninas… Vanderlei Luxemburgo era técnico do Santos. Chegou pra diretoria e disse que havia um excelente jogador num clube do interior do Paraná, chamado Arinelson, e que ele precisava de um jogador com aquelas características. O Clube santista então contratou o cara por, digamos, 600 mil (o passe dele deveria valer uns 100). O atleta chegou em Santos, deslumbrou-se com as praias, a mulherada no verão, festa, cachaça, etc., o rendimento dele despencou e ele foi pro banco de reservas. Nessa altura o Vanderlei sai do Santos e vai pro Fluminense. Chegando lá, disse pros dirigentes do time tricolor que havia um excelente atacante no Santos e que não estava sendo aproveitado, e que o passe dele era uma verdadeira pechinha por 800 mil. O Clube carioca contratou o jogador. Pra quê! Foi chegar no Rio e o Arinelson descobriu as praias cariocas, mais mulherada, cerveja, festa, pagode, favela, e acabou que nem no banco do Fluminense ele ficava mais. Pois bem: em cada transação do atleta, ambos ganharam uma nota. Aí, pra esquentar o dinheiro frio, alugaram duas lojas no recém-reformado Shopping Estação e montaram um bar temático: só fotos de jogadores de futebol, de lances de gol, aquela coisa toda. ocorre que um eletrotécnico de nome Cézar trabalhou na instalação dos equipamentos do bar e me disse que nada do que ali entrou foi pelo valor correto. Um balcão frigorífico de, digamos, 50 mil reais foi contabilizado por 135; 10 mesas com 40 cadeiras, de 80 mil, entrou na contabilidade do bar por 167 e assim por diante. Depois que esquentaram todo o caixa dois, fecharam o bar…

    Responder

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *